Prefeitos cobram atrasos de 100 milhões nos repasses do governo do estado

Foram afetados o programas de Atenção Básica, Farmácia Básica, Regionalização, Alta e Média Complexidade, Samu, UPA entre outros Prefeitos d...

Foram afetados o programas de Atenção Básica, Farmácia Básica, Regionalização, Alta e Média Complexidade, Samu, UPA entre outros

prefeitosPrefeitos denunciam as consequências dos constantes atrasos de repasses por parte do governo do estado em áreas como saúde e educação. O encontro ocorreu nesta sexta-feira (10), quando cerca de 80 prefeitos mato-grossenses participaram da assembleia geral realizada pela Associação Mato-grossense dos Municípios – AMM. A reunião também contou com a presença de representantes da bancada federal, estadual e do secretário-chefe da Casa Civil, Max Russi.

O presidente da AMM, Neurilan Fraga, ressaltou que o débito do estado com os municípios na atenção básica já ultrapassa R$ 100 milhões. “O valor é referente aos repasses atrasados da saúde nos anos de 2016 e 2017, dos programas de Atenção Básica, Farmácia Básica, Regionalização, Alta e Média Complexidade, Samu, Unidade de Pronto Atendimento e Programa de Apoio e Incentivo aos Consórcios Intermunicipais”, explicou.

Para a prefeita de Sinop, Rosana Martinelli, os gestores não confiam mais na resolutividade do governo do estado. “Nós nos reunimos diversas vezes, discutimos a situação, mas o que é proposto não é cumprido”, frisou. Ela ainda afirmou que o estado da saúde é gravíssimo, pois além dos atrasos estão ocorrendo diminuições no número de procedimentos. “As prefeituras têm se organizado para conseguir enfrentar a crise, mas não vemos isso no governo”, acrescentou.

Nesta semana, gestora participou de uma mobilização cobrando a normalização dos repasses ao hospital regional de seu município. A unidade hospitalar está há mais de dois meses atendendo apenas emergência devido à falta de repasse de recursos do governo estadual. Com a suspensão de parte dos atendimentos do Regional de Sinop, os pacientes com necessidade de atendimento emergencial estão sendo encaminhados à UPA, que está sobrecarregada.

O prefeito de Santa Cruz do Xingu, Marcos Sá, questionou o governo pela não priorização da saúde. Ele reforçou que as prefeituras têm enxugado a gestão para conseguir manter os atendimentos, mas que não vê o mesmo esforço por parte do estado. “Em Santa Cruz tivemos que exonerar 32 dos 38 cargos comissionados. Hoje atuamos com apenas três secretários, reduzimos os salários e fizemos um corte em 25% dos contratos”, exemplificou.

Os atrasos no repasse do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) também foi duramente criticado pelos gestores. De acordo com o prefeito de Juína, Altir Peruso, o atraso atrapalha a programação orçamentária das prefeituras. “Essa é a terceira vez que exerço o cargo de prefeito e a primeira que vejo o governo atrasar o ICMS. O repasse desse imposto aos municípios é previsto na constituição, não é um benesse que o estado faz. Não repassar os 25%, que são de direito dos municípios e já foram arrecadados, na data correta é apropriação indébita”, completou.

A Lei Complementar n°. 63/90, no Artigo 5° dispõe sobre critérios e prazo de créditos das parcelas do produto da arrecadação e a transferência, pelo Estado, determinar que sejam feitas para os municípios até o segundo dia útil de cada semana. Em outubro, a AMM chegou a protocolar uma ação judicial contra a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz), para assegurar o repasse do ICMS aos municípios.

Em resposta às manifestações, o chefe da Casa Civil afirmou que os débitos do estado com os municípios serão quitados após a liberação do Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações (FEX) e do pagamento da dívida da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). “No momento, não temos recurso para quitar a dívida do estado com os municípios”, pontuou. Ainda conforme Russi, outra opção é a utilização da emenda da bancada federal, que deve ser destinada aos 141 municípios, hospitais regionais, Santa Casa e filantrópicos. “A emenda de R$ 100 milhões da bancada vai zerar os débitos da saúde. Se não chegar o recurso de Brasília, teremos dificuldades” revelou.

Agência de Notícias da AMM

Nome

Curiosidades e Tech,57,Destaque,2,Fotos e eventos,85,Geral,1430,PAPO DE ESQUINA,6,Política,329,Regional,878,Rosário Oeste,1355,Variedades,763,Videos,100,
ltr
item
Biorosario: Prefeitos cobram atrasos de 100 milhões nos repasses do governo do estado
Prefeitos cobram atrasos de 100 milhões nos repasses do governo do estado
https://lh3.googleusercontent.com/-R-55nYcTVjY/WgZk4KNs7OI/AAAAAAABTCk/oqUjlUcnV9cAv8yHxwLAIXEAHkGpnHiJACHMYCw/prefeitos_thumb%255B2%255D?imgmax=800
https://lh3.googleusercontent.com/-R-55nYcTVjY/WgZk4KNs7OI/AAAAAAABTCk/oqUjlUcnV9cAv8yHxwLAIXEAHkGpnHiJACHMYCw/s72-c/prefeitos_thumb%255B2%255D?imgmax=800
Biorosario
http://www.biorosario.com.br/2017/11/prefeitos-cobram-atrasos-de-100-milhoes.html
http://www.biorosario.com.br/
http://www.biorosario.com.br/
http://www.biorosario.com.br/2017/11/prefeitos-cobram-atrasos-de-100-milhoes.html
true
7773387971014822502
UTF-8
Loaded All Posts Not found any posts VER TODOS Leia Mais Responder Cancelar Excluir Por HOME PÁGINAS POSTS Ver Todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO BUSCAR TODOS Não foi encontrado nenhuma correspondente à sua busca! Voltar ao início Domingo Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb January February March April May June July August September October November December Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Seguir ESTE CONTEÚDO É PREMIUM Please share to unlock Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy