PROPINA NO DETRAN-MT: Alvos de operação, advogado e irmão movimentaram R$ 4 milhões

Antônio e Marcelo da Costa e Silva são citados pelo Gaeco como integrantes do suposto esquema O advogado Antônio Eduardo da Costa e Silva e ...

ee240b9e53a0a07400c3923bfe8e11afAntônio e Marcelo da Costa e Silva são citados pelo Gaeco como integrantes do suposto esquema

O advogado Antônio Eduardo da Costa e Silva e seu irmão, Marcelo da Costa e Silva, dois dos alvos da operação Bereré, deflagrada nesta segunda-feira (19), apresentaram em suas contas bancárias, segundo o Ministério Público Estadual (MPE), uma intensa movimentação entre os anos de 2011 a 2015.

O Gaeco detectou no total transações no valor de  R$ 4,1 milhões, entre depósitos e transferências recebidas e repassadas pelos dois acusados.

A operação apura um esquema de criminoso de desvio e lavagem de dinheiro por meio de propina entre o Detran-MT e as empresas EIG Mercados e Santos Treinamento Ltda.

Antônio Eduardo, segundo as investigações, é um dos sócios da Santos, constituída, segundo as investigações, para operacionalizar a distribuição do dinheiro fruto do esquema. A empresa está registrada no endereço do escritório do advogado.

No pedido de prisão preventiva (negado pelo Tribunal de Justiça) e busca e apreensão, o MPE afirmou que o advogado e o irmão eram responsáveis por toda a "movimentação obscura da organização criminosa".

screenshotAtUploadCC_1519168702947"Eles eram os encarregados de providenciar a confecção e, se preciso, a destruição de toda a documentação necessária à materialização dos engodos utilizados pela organização para maquiar as atividades ilícitas de recebimento ilícito de dinheiro de origem pública", pontuou o Gaeco.

Conforme o MPE, em quatro anos, Antônio recebeu em sua conta corrente o toral de R$ 1.125.900,00 - e repassou a terceiros R$ 1.281.692,14 (veja tabelas abaixo).

Entre os valores recebidos pelo advogado, constam dois depósitos do ex-deputado estadual Adalto de Freitas, no valor total de R$ 106 mil; R$ 70 mil da Construtora Tripolo Engenharia, que tem por sócios Fausto Bortolini e Fernando Bortolini, filhos do deputado estadual Ondanir Bortolini.

A investigação detectou também o recebimento, entre outros, de R$ 10,4 mil de Ivanilda Santos Henry, esposa do ex-deputado Federal Pedro Henry; e R$ 12,5 mil do ex-prefeito de Vila Bela da Santissima Trindade, Jacob Andre Bringsken.

Já entre os valores repassados pelo advogado, constam 55 cheques repassados a Fernando Izidoro da Costa Neto, no valor total de R$ 225.307,59, entre janeiro de 2011 a dezembro de 2013, sendo que todos os cheques foram sacados na boca do caixa pelo próprio Fernando – que segundo investigações da Polícia Civil possui vínculo empregatício com Antônio Eduardo.

O advogado ainda fez dez transações no total de R$ 10 mil para a Construtora Jatobá Ltda, que tem como sócios os sobrinhos do ex-deputado estadual João Malheiros; R$ 9,5 mil para o próprio João Malheiros; R$ 5,6 mil para Ivanilda Santos Henry, esposa do ex-deputado Pedro Henry; e R$ 45 mil o ex-deputado estadual Jair Mariano.

Sem chamar atenção

Já com relação à Marcelo da Costa e Silva, em dois anos, ele recebeu em sua conta R$ 1.746.192,69 (veja tabelas abaixo).

Entre os valores, constam R$ 65 mil do deputado Ezequiel Fonseca; R$ 18,4 mil da empresa Gendoc Sistemas e R$ 1,6 milhão da Maistec Tecnologia da Informação.

"É possível verificar que, no afã de camuflar a origem do dinheiro, os investigados se valem de táticas, tais como, a utilização de empresas interpostas para movimentação do dinheiro entre eles, a emissão de cheques de pequeno valor a fim de que a transação não chame a atenção das autoridades fiscalizadoras da atividade bancária, transferências e compensação de cheques entre membros da própria família ou entre empresas das quais membros da família são sócios", diz trecho da investigação.

Núcleo

Segundo o MPE, os dois irmão compunham o núcleo "Operação", um dos estruturados para operar o esquema. Os outros dois são o "Liderança" e "Subalterno" (leia mais AQUI).

Esse núcleo era formado por 11 pessoas: Antônio da Cunha Barbosa Filho; Marcelo da Costa e Silva, Antônio Eduardo da Costa e Silva; Claudemir Pereira dos Santos; Sílvio Cezar Correa Araújo; Rafael Yamada Torres; Dauton Luiz Santos Vasconcelos; Roque Anildo Reinheimer; Merison Marcos Amaro; José Henrique Ferreira Gonçalvez e José Ferreira Gonçalves Neto.

O núcleo era responsável pela operacionalização dos esquemas. "São eles quem materializam a vontade da liderança tomando as medidas necessárias para que os esquemas de corrupção sejam realizados", diz o Gaeco.

Outro lado

A reportagem entrou em contato com o escritório de Antônio Eduardo da Costa e Silva. Uma funcionária, identificada como Carol, afirmou que, por enquanto, o advogado e seu irmão não irão se posicionar, pois o processo corre em segredo de Justiça.

Segundo ela, os dois estão prestando esclarecimentos à Justiça e irão se manifestar publicamente assim que possível.

A operação

A operação foi desencadeada na manhã desta segunda-feira (19) em Cuiabá, Sorriso e Brasília (DF), com o cumprimento de mandados de busca e apreensão na Assembleia Legislativa, em imóveis e escritórios, além da sede da empresa em Brasília.

São alvos da operação o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (PSB), o deputado estadual Mauro Savi (PSB), o ex-deputado federal Pedro Henry, servidores públicos, empresas e particulares.

A operação é desdobramento da delação premiada do ex-presidente do Detran, Teodoro Moreira Lopes, o "Dóia".

Ele revelou esquemas de corrupção na autarquia, iniciados em 2009, e que renderia, ao menos, R$ 1 milhão por mês.

As empresas FDL Serviços de Registro, Cadastro, Informatização e Certificação Ltda. (que agora usa o nome de EIG Mercados Ltda.), e a Santos Treinamento Ltda. teriam sido usadas para lavar dinheiro no esquema.

A EIG Mercados venceu uma licitação, em 2009, para prestar serviços de registro de financiamentos de contratos de veículos, por um período de vinte anos.

Até julho de 2015, a empresa ficava com 90% da arrecadação anual - estimada em R$ 25 milhões - e o órgão com 10%.

Em julho de 2015, já na gestão Pedro Taques (PSDB), o Detran fez um termo aditivo ao contrato, passando a receber 50% da arrecadação.

Veja a movimentação bancária levantada pelo Gaeco:

Recebidos por Marcelo:

Fonte: Mídia News

Nome

Destaque,2,ESPERANDO,1,Fotos e eventos,161,Geral,3004,PAPO DE ESQUINA,6,Política,1322,Regional,2010,Rosário Oeste,1848,Variedades,2670,Videos,783,
ltr
item
Biorosario Notícias: PROPINA NO DETRAN-MT: Alvos de operação, advogado e irmão movimentaram R$ 4 milhões
PROPINA NO DETRAN-MT: Alvos de operação, advogado e irmão movimentaram R$ 4 milhões
https://lh3.googleusercontent.com/-9dj7UmP1_es/Woy7_hqvCvI/AAAAAAABdiA/MCvLV1rNnC8C196zUkGF588DcQlVoPIzwCHMYCw/ee240b9e53a0a07400c3923bfe8e11af_thumb%255B2%255D?imgmax=800
https://lh3.googleusercontent.com/-9dj7UmP1_es/Woy7_hqvCvI/AAAAAAABdiA/MCvLV1rNnC8C196zUkGF588DcQlVoPIzwCHMYCw/s72-c/ee240b9e53a0a07400c3923bfe8e11af_thumb%255B2%255D?imgmax=800
Biorosario Notícias
https://www.biorosario.com.br/2018/02/propina-no-detran-mt-alvos-de-operacao.html
https://www.biorosario.com.br/
https://www.biorosario.com.br/
https://www.biorosario.com.br/2018/02/propina-no-detran-mt-alvos-de-operacao.html
true
7773387971014822502
UTF-8
Carregando posts Nenhum post foi encontrado Ver todos Leia Mais Responder Cancelar Excluir Por Inicio PÁGINAS POSTS Ver Todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO BUSCAR TODOS Não foi encontrado nenhuma correspondente à sua busca! Voltar ao início Domingo Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb January February March April May June July August September October November December Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Seguir ESTE CONTEÚDO É PREMIUM Please share to unlock Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy