Sem ração, porcos gritam de fome em MT e ministro vê situação insustentável

FONTE: RDNEWS Associação dos Criadores de Aves do Estado de Mato Grosso (Amave) conseguiu liminar judicial na manhã desta quinta (24), que d...

8a0dbabd7ddbffd925206543568c7c9c

FONTE: RDNEWS

Associação dos Criadores de Aves do Estado de Mato Grosso (Amave) conseguiu liminar judicial na manhã desta quinta (24), que determina a liberação dos caminhões que transportam ração para as granjas. A previsão é que ainda nesta tarde, representantes da entidade, com auxilio da Polícia Rodoviária Federal comuniquem os caminhões com ração estacionados nas barreiras de Cuiabá e Várzea Grande.

Desde segunda (21), as cinco plantas frigoríficas que abatem aves em Mato Grosso, estão sem operar, em razão da impossibilidade do transporte entre as granjas e os locais de abate. Os prejuízos com a falta de operações ainda não foram calculados.

A via judicial também está sendo tentada pelos suinocultores. De acordo com o presidente da Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat), Raulino Teixeira, a entidade entrou esta semana, com uma liminar na justiça pedindo ao Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens (Sindicam) a  liberação de caminhões com rações para os animais e transporte de suíno vivo.

“Com os bloqueios, as granjas já estão sofrendo com o baixo estoque de grãos e consequentemente animais estão morrendo. E a continuidade das paralisações reflete em ainda mais riscos para a cadeia produtiva, que há quase um ano sofre com o baixo preço pago pelo quilo do suíno e que tem tornado a atividade inviável para produtores no Estado. Atualmente, o quilo do suíno vendido pelo suinocultor tem preço médio de R$ 2,55, sendo que o ideal, só para cobrir os custos de produção, deveria estar em torno de R$ 3,30”, pontua.

Raulino ressalta ainda que apoia as motivações da paralisação, mas entende que o movimento deve preservar o fluxo dos alimentos e dos insumos para a produção. “É de conhecimento nacional a grave crise enfrentada pela cadeia produtiva, que há meses luta para preservar os postos de trabalho do setor. Desse modo, impedir a continuidade da produção poderá gerar consequências graves para o Mato Grosso".

A Nutribras Alimentos de Sorriso, um dos maiores frigoríficos de suínos do Estado, já informou em nota que paralisará as atividades por três dias por conta da falta de insumos e combustível para manutenção das atividades. A empresa tem um plantel de 17 mil matrizes e capacidade de abate de até 3 mil suínos por dia.

O proprietário da Suinobras, Reinaldo Morais, ressalta que se não bastassem os preços do quilo do animal despencarem após a deflagração da Operação Carne Fraca, as delações premiadas de representantes do Grupo JBS e o alto do custo de produção, somados agora com a greve dos caminhoneiros, a crise da suinocultura mato-grossense se agravará. Conta que possui mais de dez carretas carregadas de milho paradas entre as cidades de Deciolândia e Diamantino e de farelo de soja em Nova Mutum e Rondonópolis, que não conseguem abastecer as granjas de Diamantino e Pedra Preta.

“Eu também entrei na justiça com um pedido de liminar, não somos contra a greve que busca o melhor para o Brasil, sabemos da importância dos caminhões em nossas vidas, porém somos contra a arbitrariedade de impedir o transito de suínos vivos e de alimentos para eles. Nossa granja em Diamantino, que possui cerca de 200.000 mil animais e produz quase 500 toneladas por dia, está há três dias sem conseguir abastecer os insumos. Infelizmente já apresentamos a mortalidade de quase 100 suínos por falta de alimento”, reforça Reinaldo.

Outro a entrar na justiça foi o suinocultor, Fernando Takeuti de Diamantino, que também tem sentido no bolso os impactos da greve. A Granja, que conta com um plantel de aproximadamente 200 mil suínos e um consumo de 480 toneladas de ração por dia, depende da entrega diária de matéria-prima para alimentar os animais. “O estoque é curto, para no máximo 2 dias. Como a paralisação já está no terceiro dia seguido, os carregamentos não chegaram. Os animais estão sem ração e alguns até morreram de fome” (Com Assessoria).

Nome

Destaque,2,ESPERANDO,2,Fotos e eventos,151,Geral,2751,PAPO DE ESQUINA,6,Política,1167,Regional,1844,Rosário Oeste,1777,Social,172,Tecnologia,315,Variedades,1974,Videos,656,
ltr
item
Biorosario Notícias: Sem ração, porcos gritam de fome em MT e ministro vê situação insustentável
Sem ração, porcos gritam de fome em MT e ministro vê situação insustentável
https://lh3.googleusercontent.com/-D8g4zx2j8_w/WwdeGBQVTbI/AAAAAAABm4U/HKLBB9lMTz07aZJypzZ5oo_OhmVyXFmEACHMYCw/8a0dbabd7ddbffd925206543568c7c9c_thumb%255B2%255D?imgmax=800
https://lh3.googleusercontent.com/-D8g4zx2j8_w/WwdeGBQVTbI/AAAAAAABm4U/HKLBB9lMTz07aZJypzZ5oo_OhmVyXFmEACHMYCw/s72-c/8a0dbabd7ddbffd925206543568c7c9c_thumb%255B2%255D?imgmax=800
Biorosario Notícias
https://www.biorosario.com.br/2018/05/sem-racao-porcos-gritam-de-fome-em-mt-e.html
https://www.biorosario.com.br/
https://www.biorosario.com.br/
https://www.biorosario.com.br/2018/05/sem-racao-porcos-gritam-de-fome-em-mt-e.html
true
7773387971014822502
UTF-8
Carregando posts Nenhum post foi encontrado Ver todos Leia Mais Responder Cancelar Excluir Por Inicio PÁGINAS POSTS Ver Todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO BUSCAR TODOS Não foi encontrado nenhuma correspondente à sua busca! Voltar ao início Domingo Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb January February March April May June July August September October November December Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Seguir ESTE CONTEÚDO É PREMIUM Please share to unlock Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy