Sem poder se locomover, artista plástica pinta por meio de tablet

Fonte: Mídia News Entre aparelhos médicos, tubos e medicamentos, a artista plástica Regina Pena encontrou na tecnologia uma maneira de pross...

f7e3b7115bebfc7ca9779c95ba5c5ab2

Fonte: Mídia News

Entre aparelhos médicos, tubos e medicamentos, a artista plástica Regina Pena encontrou na tecnologia uma maneira de prosseguir com a pintura. Em 2012, a artista foi diagnosticada com esclerose múltipla, que a impediu de continuar desenhando em telas.

A doença é neurológica e afeta o sistema nervoso central. Isso acontece porque o sistema imunológico do corpo confunde células saudáveis com "intrusas", e as ataca provocando lesões. Os danos causam interferência na comunicação entre o cérebro, medula espinhal e outras áreas do sistema nervoso central. Esta condição pode resultar na deterioração dos nervos.

A doença se desenvolveu rápido e comprometeu seus movimentos. A esclerose afetou, principalmente, o lado esquerdo do corpo da artista.

Hoje, morando em um residencial geriátrico, Regina não consegue mais levantar um pincel. Ela, então, passou a desenhar com os dedos por meio do aplicativo Sketchbook no tablet.

No começo houve muita resistência por parte da artista. Ela não conseguia se imaginar sem suas tintas.

“Quando eu me vi impossibilitada, não dava conta mais de pintar em tela. Eu gostava de pegar a tela da parede, preparar as telas para pintar e não tinha mais forças”, disse.

No entanto, a necessidade de se expressar, de se colocar no mundo, sempre a acompanhou. Foi quando sua amiga Maria Teresa Carracedo a influenciou a escrever poemas.

“Percebi que precisava canalizar para alguma forma de expressão, tinha necessidade de criação. Isso é vida para mim, sempre foi”, afirmou a artista.

Nesse tempo, ela escreveu cerca de 80 poesias. Então Maria Teresa deu a ideia de ela começar a ilustrar o próprio livro. A esclerose já havia avançado e Regina precisou se mudar para o Paraná.

Nesse período em que passou longe de sua terra natal, Regina produziu uma série pelo iPad. Assim ela descobriu que poderia dar seguimento à sua grande paixão.

“Existem umas diferenças porque você não sente a tinta, o cheiro, as pinceladas. Mas o processo de criação é o mesmo. Fiquei muito ruim lá. Mas sempre pesquisando, todo dia”.

Quando retornou para Cuiabá, a pintora se sentiu tão feliz que fez uma série de quadros relembrando sua infância no cerrado. Nesses desenhos produzidos totalmente de forma digital, ela representou casas antigas, pomares, flores e até bordados de centro de mesa.

“Quando eu cheguei, eu estava em uma animação muito grande. E foi tão feliz para mim”, relembrou Regina muito emocionada.

Alair Ribeiro/MidiaNews

Regina Pena

Artista foi diagnosticada com esclerose múltipla e passou a pintar pelo tablet

Artista autodidata

Regina Pena conta que, desde muito pequena, se interessava muito por arte. Ela começou desenhando nos cadernos de atividades da escola e sempre foi muito observadora.

“Quando eu tinha uns oito anos, descobri o piolho de urubu. Em um dos areões de Chapada, eu vi aqueles redemoinhos, aquele buraco perfeito. Fiquei encantada”, relembrou.

Aos 14 anos a artista começou a pintar em telas, no entanto ela nunca fez nenhum curso de pintura. Regina se orgulha de sempre ter se dedicado sozinha ao aprendizado da arte.

Em 1974, começou a pintar profissionalmente. Ela participou de uma exposição e inscreveu três obras, porém apenas uma foi selecionada.

“Fui atrás de um dos jurados, que era o Humberto Espíndola, para saber por que aquela tinha passado. Ele me explicou que, se eu quisesse prosseguir, teria que fazer uma pesquisa com fotografia”, expôs Regina.

Assim, a pintora começou a estudar mais sobre artes plásticas. Foi quando passou a visitar os vilarejos próximos de Cuiabá.

"Comecei a pesquisar mais, ia aos pequenos vilarejos, via mulheres na beira do rio, pescadores. Fui para Bom Sucesso, São Gonçalo e ai fui desenvolvendo”.

Com traços delicados, Regina percebeu que sua paixão era retratar o popular, o regionalismo da sua terra. Ela conta que uma de suas grandes inspirações foi o mergulho do biguá – ave aquática.

“Eu ficava intrigada em como um pássaro pode mergulhar e ficar tanto tempo embaixo d’água. Então isso me marcou muito. A partir disso eu fiz várias telas, vários trabalhos pesquisados no biguá”, explicou.

Cada trabalho se caracteriza por uma profusão de cores e formas. A poesia e o imagiário tomam conta das pinceladas rápidas. Misturadas na tela, as distorções do espaço expressam os sentimentos da artista.

Tragédias

Os primeiros sintomas da esclerose múltipla começaram a aparecer entre 2005 e 2006, porém Regina foi diagnosticada com disritmia. Mas foi somente em 2012, quando já estava debilitada, que a artista recebeu confirmação.

“Fiquei seis anos com o diagnóstico errado. Até esse tempo, eu produzia objetos, pintava em tela, depois não consegui mais”, relatou Regina.

Ela, então, passou a andar de cadeira de rodas, pois os movimentos estavam comprometidos. Já em 2014, se mudou para um residencial geriátrico, no bairro Boa Esperança, em Cuiabá.

No ano passado, Regina passou por uma cirurgia no intestino. Os médicos encontraram um tumor e foi preciso fazer uma colostomia - exteriorização de uma porção do intestino grosso através da parede abdominal, para desviar o trânsito intestinal -, que não pode ser revertida.

“Aqui ainda é aberto e eu não posso fazer a reversão da colostomia por causa do meu pulmão. A esclerose me deixou com problemas de movimento do lado esquerdo e o pulmão foi afetado. Agora eu não tenho mais condição de reverter”, explicou a pintora.

Hoje, aos 66 anos, a artista vive em uma cama hospitalar rodeada por aparelhos médicos, que ocupam a maior parte do seu pequeno quarto.

Além disso, precisa conviver diariamente com a dor causada pela doença neurológica. Até o tecido das roupas provocam dor.

“Na maior parte do tempo eu estou descoberta e sentindo dor. Tenho muito trabalho de paciência, de aprendizagem. A limitação é tão grande que dependo das pessoas quase para tudo. Eu nem sei dizer. É muito difícil”, disse, com lágrimas nos olhos.

Alair Ribeiro/MidiaNews

Regina Pena

Regina Pena utiliza suas redes sociais para difundir suas obras

“Arte que me mantém”

Apesar dos problemas de saúde, Regina não se deixa abalar com os obstáculos. Ela encontrou um motivo para continuar seguindo: a arte. A vontade de continuar pintando é o que lhe traz felicidade.

“Se eu não puder ser feliz nessa condição que eu estou, não tem como pintar, desenhar. É isso que me mantém viva”, enfatizou.

Além disso, a cada dia é uma nova descoberta. Recentemente, ela adquiriu um novo tablete e ainda está aprendo como utilizá-lo.

“Eu vou ter que descobrir novamente como fazer [pintar no tablet] porque é um pouco diferente. Então tenho que estudar e aos poucos vou descobrindo”, afirmou.

Agora Regina publica seus novos quadros em seus perfis no Facebook e Instagram. Ela acredita que as redes sociais auxiliam na divulgação das obras.

A pintora também planeja uma exposição para os 300 anos de Cuiabá. Para isso, ela precisa imprimir suas obras em uma gráfica de São Paulo, que utiliza um papel especial. Por estar no início, não há ainda uma data definida para o evento.

Nome

Destaque,2,ESPERANDO,2,Fotos e eventos,150,Geral,2687,PAPO DE ESQUINA,6,Política,1106,Regional,1788,Rosário Oeste,1752,Social,163,Tecnologia,272,Variedades,1917,Videos,612,
ltr
item
Biorosario Notícias: Sem poder se locomover, artista plástica pinta por meio de tablet
Sem poder se locomover, artista plástica pinta por meio de tablet
https://lh3.googleusercontent.com/-DauIA8RFVx8/W0Iru2zUbUI/AAAAAAABsUU/ciuFrvmNXcIiIP0E1ppFRQSu6cRl56RpQCHMYCw/f7e3b7115bebfc7ca9779c95ba5c5ab2_thumb%255B1%255D?imgmax=800
https://lh3.googleusercontent.com/-DauIA8RFVx8/W0Iru2zUbUI/AAAAAAABsUU/ciuFrvmNXcIiIP0E1ppFRQSu6cRl56RpQCHMYCw/s72-c/f7e3b7115bebfc7ca9779c95ba5c5ab2_thumb%255B1%255D?imgmax=800
Biorosario Notícias
https://www.biorosario.com.br/2018/07/sem-poder-se-locomover-artista-plastica.html
https://www.biorosario.com.br/
https://www.biorosario.com.br/
https://www.biorosario.com.br/2018/07/sem-poder-se-locomover-artista-plastica.html
true
7773387971014822502
UTF-8
Carregando posts Nenhum post foi encontrado Ver todos Leia Mais Responder Cancelar Excluir Por Inicio PÁGINAS POSTS Ver Todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO BUSCAR TODOS Não foi encontrado nenhuma correspondente à sua busca! Voltar ao início Domingo Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb January February March April May June July August September October November December Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Seguir ESTE CONTEÚDO É PREMIUM Please share to unlock Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy