Aviões elétricos devem ser o padrão da aviação até 2050, prevê Siemens

olhar digital Engana-se quem pensa que somente os carros da Tesla e de outras montadoras estão ganhando motores movidos a eletricidade. A in...

20171005132917_660_420

olhar digital

Engana-se quem pensa que somente os carros da Tesla e de outras montadoras estão ganhando motores movidos a eletricidade. A indústria da aviação também está investindo pesado no desenvolvimento e construção de aeronaves elétricas (as e-Aircrafts, em inglês). A confiança no sucesso do negócio é tanto que a expectativa é que as viagens feitas em modelos elétricos se tornem padrão no mercado até 2050.

Apesar do entusiasmo, as aeronaves movidas a eletricidade devem atuar inicialmente apenas em voos de curta distância e dentro dos perímetros urbanos. É o que disse Teri Hamlin, vice-presidente da eAircraft USA, subsidiária da Siemens que desenvolve motores e sistemas de propulsão elétrica para fabricantes de aviões. A executiva participou da Siemens Industry Analyst Conference 2018 em Boston, nos Estados Unidos, onde comentou os avanços da eletrificação da indústria da aviação.

Na rota para se tornar o padrão em 2050, a aviação elétrica ainda está apenas decolando, embora com velocidade maior do que a esperada. Desde 2016, a eAircraft já realiza testes com pequenas aeronaves, incluindo o modelo acrobático Extra 330LE. Além disso, a flexibilização das regras de certificação deve permitir uma pequena abertura de mercado para modelos ultraleves e uso militar ainda em 2018.

Quando se pensa em médias distâncias, porém, a expectativa é que a adoção dos modelos elétricos só ocorra em 2025. Os principais desafios para que isso aconteça, segundo a eAircraft, estão no desenvolvimento de baterias de longa duração e na criação de motores com potência suficiente para atividade. Entretanto, recordes já têm sido quebrados neste último quesito.

O último motor da companhia, o SP260D-A, atingiu uma densidade de energia de 5,9 kW/Kg (Quilowatts por quilogramas). Trata-se de um grande avanço em relação aos equipamentos tradicionais, que conseguem alcançar apenas 1kW/KG. O modelo, inclusive, será utilizado no CityAirbus (Foto de destaque desta reportagem), um táxi aéreo voltado para o transporte urbano e que deve ter seu primeiro teste tripulado já em 2019.

Reprodução

Já no que diz respeito à aviação de longa distância, o mercado já trabalha com a proposta de criar soluções híbridas. A primeira seria um sistema em série, onde um motor de combustão geraria energia elétrica para alimentar a bateria ou motor elétrico. Já no híbrido paralelo, o motor elétrico seria usado para prover rotação e ajudar o de combustão em momentos de pico de performance. De qualquer forma, o primeiro voo intercontinental ainda deve demorar mais de uma década.

Mais baratos e mais ecológicos

Ainda durante a discussão, Teri Hamlin apresentou ainda alguns dos principais benefícios que os aviões elétricos devem oferecer em relação aos modelos convencionais. O primeiro deles diz respeito ao custo de manutenção, uma vez que esses equipamentos teriam menos partes móveis do que sua contrapartida movida a combustão. Isso tornaria o funcionamento das aeronaves mais consistente e previsível.

As unidades elétricas permitiriam ainda uma mudança mais profunda no design dos aviões, tendo em vista a maior liberdade de posicionamento de propulsores com a tecnologia em relação aos de combustão. Os benefícios devem se estender ainda a áreas como usabilidade das aeronaves, controles de propulsão, entre outros.

Reprodução

Por fim, o desenvolvimento de aviões elétricos promete reduzir consideravelmente a emissão de gases poluentes e a geração de ruídos. Transportando cerca de 4,1 bilhões de passageiros em todo o mundo, a aviação civil é uma grande poluidora por conta da queima de grandes quantidades de combustíveis fósseis.

Para se ter uma ideia, somente uma viagem partindo do Aeroporto Internacional de São Paulo com destino a Miami, nos Estados Unidos despeja 693,94 Kg de gás carbônico (CO2) na atmosfera. Segundo uma previsão da Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA), o ano de 2018 deve ser encerrado com um total 39 milhões de voos feitos em todo mundo. Ou seja, dá para ter uma boa ideia do impacto que que a eletrificação da frota aérea pode ter no meio ambiente.

Nome

Destaque,2,ESPERANDO,1,Fotos e eventos,153,Geral,2890,PAPO DE ESQUINA,6,Política,1260,Regional,1933,Rosário Oeste,1815,Variedades,2588,Videos,734,
ltr
item
Biorosario Notícias: Aviões elétricos devem ser o padrão da aviação até 2050, prevê Siemens
Aviões elétricos devem ser o padrão da aviação até 2050, prevê Siemens
https://lh3.googleusercontent.com/--CQEGKh-6OQ/W4ckOsKa8HI/AAAAAAABzFU/k51DA8V4-SM9RILYCjWs3IxPb-cN-dDvwCHMYCw/20171005132917_660_420_thumb%255B1%255D?imgmax=800
https://lh3.googleusercontent.com/--CQEGKh-6OQ/W4ckOsKa8HI/AAAAAAABzFU/k51DA8V4-SM9RILYCjWs3IxPb-cN-dDvwCHMYCw/s72-c/20171005132917_660_420_thumb%255B1%255D?imgmax=800
Biorosario Notícias
https://www.biorosario.com.br/2018/08/avioes-eletricos-devem-ser-o-padrao-da.html
https://www.biorosario.com.br/
https://www.biorosario.com.br/
https://www.biorosario.com.br/2018/08/avioes-eletricos-devem-ser-o-padrao-da.html
true
7773387971014822502
UTF-8
Carregando posts Nenhum post foi encontrado Ver todos Leia Mais Responder Cancelar Excluir Por Inicio PÁGINAS POSTS Ver Todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO BUSCAR TODOS Não foi encontrado nenhuma correspondente à sua busca! Voltar ao início Domingo Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb January February March April May June July August September October November December Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Seguir ESTE CONTEÚDO É PREMIUM Please share to unlock Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy