Tiroteio na Nova Zelândia: redes sociais não conseguem impedir postagens dos vídeos da matança

Fonte: Olhar Digital Para cada vídeo do tiroteio em massa na Nova Zelândia que o YouTube e o Facebook bloqueiam, outros dois ou trê...


Fonte: Olhar Digital

Para cada vídeo do tiroteio em massa na Nova Zelândia que o YouTube e o Facebook bloqueiam, outros dois ou três aparecem. O país foi palco, hoje (15), de uma agressão terrorista: um atirador atacou muçulmanos em uma mesquita e transmitiu as cenas ao vivo pelo Facebook. A rede social removeu o vídeo e excluiu a conta do criminoso, mas isso não impediu que o conteúdo se espalhasse.

Depois de retirado do Facebook, o vídeo de aproximadamente 17 minutos foi enviado para o YouTube várias vezes, com poucos minutos de intervalo. A plataforma incentiva os usuários a sinalizarem os vídeos do ataque e alega estar removendo milhares de gravações relacionadas nas últimas horas.

"Conteúdo chocante, violento e gráfico não tem lugar em nossas plataformas. Empregamos nossa tecnologia e nossos recursos humanos para revisar e remover rapidamente todo e qualquer conteúdo violento do YouTube", disse um porta-voz do Google em um comunicado. "Como em qualquer grande tragédia, trabalhamos em cooperação com as autoridades." 

O serviço usa algoritmos, como Content ID, que detectam automaticamente quando materiais com direitos autorais, como músicas e filmes, são carregados em sua plataforma. Quando o uso indevido do conteúdo é identificado, ele é removido imediatamente. O Google não especificou se usou essas ferramentas para controlar a disseminação do vídeo da Nova Zelândia. 

A empresa diz que usou tecnologia de detecção inteligente para remover os clipes, mas não dá detalhes. A busca por vídeos violentos ressalta a dificuldade das empresas de mídia social para detectá-los e removê-los. A prática virou rotina: vídeos de tragédias se espalham pela web, mesmo que especialistas e detentores de tecnologia tentem expurgá-los. 

Críticos apontam que o atirador da Nova Zelândia conseguiu transmitir a violência por mais de 15 minutos antes que o Facebook desativasse sua live. "Isso é totalmente inaceitável", diz Farhana Khera, diretora da Muslim Advocates. "As empresas de tecnologia devem tomar todas as medidas possíveis para evitar que isso aconteça novamente."

Denúncias ajudam nas buscas

O Facebook diz que continua a procurar por postagens do vídeo na rede social, com base em denúncias e com o uso de ferramentas de tecnologia. "A Polícia da Nova Zelândia nos alertou sobre o vídeo logo após o início da transmissão e removemos rapidamente as contas do Facebook e do Instagram, e o vídeo", informa Mia Garlick, porta-voz do Facebook Nova Zelândia. "Também estamos removendo qualquer elogio ou apoio ao crime e aos atiradores assim que temos conhecimento."

Gigantes da tecnologia, como Facebook e Google, têm autonomia para remover vídeos extremistas. As ações foram muito efetivas no passado. Em 2016, o The Guardian informou que as companhias de Mark Zuckerberg usaram algoritmos semelhantes ao Content ID para retirar vídeos vinculados ao ISIS automaticamente. A tecnologia procura por vídeos que foram sinalizados como violações e, depois, os bloqueia sem exigir revisão humana — ou seja, é um processo rápido.

O atirador da Nova Zelândia, além de fazer a transmissão ao vivo, publicou um manifesto em sua conta na rede social e no 8Chan (fórum de mensagens). A intenção foi justamente viralizar o assassinato em massa. No texto, ele fez referência a itens da cultura pop, como os jogos "Fortnite" e "Spyro the Dragon", e o popular YouTuber PewDiePie. Como esses termos são extremamente populares na internet, usá-los aumenta o potencial de viralização.

Enquanto vídeos do tiroteio continuam a surgir, os especialistas temem que eles sirvam de inspiração. "Esse é um dos lados obscuros da mídia social: algo quase impossível para as empresas controlarem. Elas não são capazes de bloquear esse material em tempo real", diz Paul Barrett, vice-diretor do NYU Stern Center for Business e Human Rights. "É um verdadeiro dilema sobre os perigos que as mídias sociais podem facilitar."

Tom Watson, vice-líder do Partido Trabalhista da Nova Zelândia, convocou plataformas de tecnologia para a luta contra a disseminação do vídeo. Em comunicado, Watson disse que escreveria para as plataformas de mídia social para perguntar por que não conseguiam remover as imagens. Em um tuíte, Watson disse que o YouTube deveria ter suspendido todos os novos envios até que pudesse impedir que o vídeo da Nova Zelândia se espalhasse.

"O fracasso em lidar com isso rápida e decisivamente representa uma completa abdicação de responsabilidade pelas empresas de mídia social", comenta. "Isso aconteceu muitas vezes. Deixar de baixar os vídeos imediatamente e impedir que outros sejam enviados é uma falha de decência."
Nome

Destaque,2,ESPERANDO,1,Fotos e eventos,195,Geral,5901,PAPO DE ESQUINA,6,Regional,2572,Rosário Oeste,2143,Variedades,3299,Videos,1163,
ltr
item
Biorosario: Tiroteio na Nova Zelândia: redes sociais não conseguem impedir postagens dos vídeos da matança
Tiroteio na Nova Zelândia: redes sociais não conseguem impedir postagens dos vídeos da matança
https://3.bp.blogspot.com/-_6RYm-SilVY/XIzTGqCrvxI/AAAAAAACEiI/A4fqabsZ56AWyujj9Xz8pY0anXHc2A-iwCLcBGAs/s640/20190315052413_1200_675.jpg
https://3.bp.blogspot.com/-_6RYm-SilVY/XIzTGqCrvxI/AAAAAAACEiI/A4fqabsZ56AWyujj9Xz8pY0anXHc2A-iwCLcBGAs/s72-c/20190315052413_1200_675.jpg
Biorosario
https://www.biorosario.com.br/2019/03/tiroteio-na-nova-zelandia-redes-sociais.html
https://www.biorosario.com.br/
https://www.biorosario.com.br/
https://www.biorosario.com.br/2019/03/tiroteio-na-nova-zelandia-redes-sociais.html
true
7773387971014822502
UTF-8
Carregando posts Nenhum post foi encontrado Ver todos Leia Mais Responder Cancelar Excluir Por Inicio PÁGINAS POSTS Ver Todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO BUSCAR TODOS Não foi encontrado nenhuma correspondente à sua busca! Voltar ao início Domingo Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb January February March April May June July August September October November December Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Seguir ESTE CONTEÚDO É PREMIUM Please share to unlock Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy