Propaganda

Botelho comemora: 'dinheiro vai circular em Mato Grosso'


Repórter MT

O deputado Eduardo Botelho (DEM), presidente da Assembleia Legislativa, comemorou a aprovação, pelo Legislativo, do pedido feito pelo Governo do Estado para tomar emprestado junto ao Banco Mundial cerca de R$ 1,3 bilhão para renegociar a dívida dolarizada com o Bank Of America, herdada da gestão do Governo Silval Barbosa.

Segundo o democrata, a aprovação dos deputados vai resultar em economia para os cofres do Estado.

“Acho que foi muito positivo para o Estado de Mato Grosso como um todo, porque desse recurso, R$ 750 milhões que o Governo pagaria para o banco em quatro anos, vai ficar dentro do Estado para fomentar a economia, para pagar o passivo. O dinheiro vai circular dentro do Estado. Eu acho isso importante para nós e a Assembleia Legislativa fez o seu papel”, comentou nesta quinta-feira (04) à imprensa, durante o encontro de prefeitos.

O pedido do Governo tramitou por 13 dias na Assembleia Legislativa e depois de muito debate foi aprovado em sessão que durou quatro horas na noite de quarta-feira (03), por 17 votos a favor e três contrários.

De acordo com o Governo, com o empréstimo, o Estado passa a ter uma nova dívida, mas com melhores condições de pagamento, sendo o prazo alongado de quatro para 20 anos e os juros anuais reduzidos de 5% para 3,5%. O dinheiro deve entrar no caixa do governo em dois meses.

Empréstimo 

O empréstimo junto ao Banco Mundial é para pagar a dívida deixada pelo ex-governador Silval Barbosa (2010-2014), que buscou um financiamento junto ao Bank Of America para tocar as obras da Copa do Mundo de 2014, ocasião em que Cuiabá foi uma das cidades sedes do evento.


Em 2012, a dívida foi renegociada em US$ 478, 9 milhões. Em setembro de 2022, quando for paga a última parcela, o Estado já vai ter desembolsado U$$ 673,7 milhões.

O atual Governo considera o valor exorbitante e para evitar o pagamento resolveu vender a dívida ao Banco Mundial.

Agora para a operação de crédito dar certo resta a autorização da da Secretaria do Tesouro Nacional. Com isso, o Estado vai conseguir quitar integralmente a dívida com o Bank Of America até setembro deste ano.