Propaganda

Sexta-Feira Santa, o que significa e por que os católicos não comem carne nessa data?


Fonte: CNP Calendarr

Todos os anos na sexta-feira que antecede o domingo de páscoa nós passamos pela Sexta-feira Santa, ou como também é conhecida, Sexta-Feira da Paixão. Essa é a data em que os cristãos relembram a morte de Jesus Cristo.

A Sexta-Feira santa é um feriado móvel, em que cada ano acontece em uma data especifica diferente. A data marca o fim da Quaresma, período de penitência de 40 dias que começa um dia depois da Quarta-feira de cinzas, após o carnaval.

Essa data marca um período de três dias especiais no calendário cristão, o feriado da Paixão de Cristo. Os três dias celebram a ressurreição do Messias que morreu na cruz para salvar os seres humanos dos seus pecados.

Data da Sexta-Feira Santa


O cristianismo mostra que a ressurreição de Jesus Cristo aconteceu em um domingo, no dia 14 de Nisã (calendário hebraico). Como ele ressuscitou no terceiro dia, conclui-se que ele morreu numa sexta-feira.

Atualmente, a data é definida a partir da primeira lua cheia após o equinócio da primavera (no Hemisfério Norte) e do outono (no Hemisfério Sul). Neste caso, a Sexta-feira Santa pode ocorrer entre os dias 22 de março e 25 de abril.

Em 2019, ela cai no dia 19 de abril. Nos anos seguintes cairá:

Sexta-feira Santa 2020 – 10 de abril de 2020;
Sexta-feira Santa 2021 – 2 de abril de 2021;
Sexta-feira Santa 2022 – 15 de abril de 2022;
Sexta-feira Santa 2023 – 7 de abril de 2023;
Sexta-feira Santa 2024 – 29 de março de 2024.

Rituais do período


A Sexta-Feira Santa é recheada de tradições religiosas cristãs. A Igreja Católica aconselha aos fiéis praticarem algum tipo de penitência, como jejum e a abstinência de carne ou de qualquer ato que se refira ao prazer mundano. Procissões e reconstituições da Via Sacra também são alguns dos rituais mais populares.

Muitos devotos costumam beijar os seus crucifixos em sinal de respeito e eterno agradecimento a Jesus, por ter se sacrificado em prol da humanidade. Ainda assim, deixar de comer carne nesse dia é o ritual mais comum.

Por que não se come carne vermelha na Sexta-Feira Santa


Abrir mão da carne vermelha e jejuar na Sexta-Feira da Paixão é uma prática muito antiga, de séculos, da Igreja Católica. e tem argumentos fortes em seu favor. Um dos principios básicos que leva a isso é que todo cristão deve saber abrir mão de seus desejos e algumas necessidades mundanas.

O Catecismo da Igreja católica ensina que por meio de práticas, como essa, é possível alcançar frutos a a virtude da temperança. A Igreja também assegura que o domínio da vontade sobre os instintos mantém os desejos controlados.

Santo Tomás de Aquino disse que o “jejum foi estabelecido pela Igreja para reprimir as concupiscências da carne, cujo objeto são os prazeres sensíveis da mesa e das relações sexuais”. Lembrando que na época de São Tomás de Aquino, além da carne, abria-se mão dos ovos e laticínios.

Historicamente, o jejum era feito na quarta e na sexta-feira. A Igreja do Oriente, inclusive, permanece com esse costume. Durante algum tempo no Período medieval, as pessoas também jejuavam nos sábados.