Propaganda

Amigo segura mulher para o marido espancá-la em MT


maria-penha.jpg

Folhamax

Com tantas campanhas de combate à violência contra a mulher, a prática segue no cotidiano da sociedade, e a mulher vítima segue minimizada a números e, muitas vezes, responsabilizadas pelos crimes dos quais ela se tornou vítima. Eram 20 horas de ontem (10), quando chegou a vez de N.R.S.M., 28 anos, se tornar vítima, mais uma vez, de seu companheiro, W.M.C., 37 anos. Desta vez, além de ser agredida por ele, ainda foi segurada por um outro homem, M.B.S., de 27 anos, para que ela não pudesse se defender das agressões. O crime foi cometido no bairro Centro, em Campo Verde (134 km de Cuiabá).

N.R.S.M. voltava para sua casa após uma separação de 4 dias, quando avistou o carro do marido na casa do amigo. Ela então se direcionou à casa, momento em que, vendo que poderia acontecer uma briga ali em sua casa, M.B.S. a segurou. “Aqui na minha casa, não”, diz o relato de N.R.S.M. no Boletim de Ocorrências (B.O.). Em seguida, o marido de N.R.S.M., então, a teria agredido, enquanto o amigo continuava a segurando.

A Polícia Militar foi acionada de uma das unidades do Programa Saúde da Família (PSF), no bairro Vale do Sol, onde N.R.S.M. recebia atendimento. Aos policiais, ela explicou que convive com W.M.C. há um ano e cinco meses. Segundo ela, no dia 1º de maio o marido a agrediu na porta de casa. No dia 6 ela teria ido embora para a cidade de Dom Aquino (168 km de Cuiabá), onde ficou até o dia 10.

Nesta sexta, então, W.M.C. a procurou por telefone, pedindo uma nova chance, o que a fez retornar para Campo Verde. Mas ela sequer chegou à sua casa antes de novamente ser agredida.

Após ouvir o relato da história, os policiais foram à casa de M.B.S., em companhia de N.R.S.M., onde constataram que o esposo já havia fugido do local, com uma motocicleta, sem mencionar onde ia. Questionada sobre a participação de M.B.S. em sua agressão, a vítima confirmou o que tinha dito anteriormente e o dono da casa acabou sendo preso em flagrante por lesão corporal.

Na residência, os policiais encontraram uma faca suja de sangue. Também foi constatado vestígios de sangue em uma parede.

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Em 2018, segundo dados apresentados em janeiro pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (SESP), 39.789 registros de violência contra a mulher foram feitos. O levantamento enquadra mulheres entre 18 e 59 anos e aponta que, a cada dia, 109 mulheres registraram crimes de violência que sofreram.

Os números, porém, ainda não representam o verdadeiro quadro a que a sociedade assiste, sem muito fazer para mudar. Isso porque, ainda há um número considerável de mulheres vítimas de violência doméstica que não denunciam seus agressores, por vários motivos, que vão desde vergonha a medo.