Header Ads

Deputados discutem e partem para acusações pessoais em sessão na AL

ULYSSES-XUXU.jpg
Divergências a respeito do projeto do governo de Mato Grosso que prevê o aumento do número de cargos no MT Par (MT Parcerias S/A), geraram um bate-boca entre os deputados Xuxu Dal Molin (PSC) e Ulysses Moraes (DC) na sessão matutina desta quinta-feira (12) na Assembleia Legislativa. Os dois deputados tiveram como bandeira de campanha o exugamento da máquina pública, mas Xuxu votou favorável a matéria do Governo, o que despertou a "ira" de Moraes.

“Quando se refere a enxugar a máquina pública, vossa excelência se manifesta de maneira contrária. Espero que o seu posicionamento venha a ser coerente com seu discurso de enxugamento da máquina pública”, disse o deputado, que alegou que sua intenção, ao apresentar uma emenda, era justamente acabar com cabides de emprego.

Ele defendeu que o número de servidores já existentes são suficientes e a criação de mais cargos aumentaria os gastos “nesse Estado que está sufocado com suas contas publicas”.

Por ter sido citado, Janaína Riva (MDB), que presidia a sessão, concedeu o aparte a Xuxu, que respondeu que não havia votado a favor do projeto, e sim autorizado o governador Mauro Mendes a fazer o planejamento necessário na MT Par, que é importante para o desenvolvimento do Estado, na medida em que tem condições de contribuir com a arrecadação e o desenvolvimento. “Se a gente ficar se digladiando aqui, a gente vai ficar um desrespeitando o outro. Só respeita o meu voto, não precisa pra crescer politicamente desfazendo o meu trabalho, faça o teu trabalho e cresça, só isso”, disparou.

Xuxu ainda "partiu para o pessoal" e lembrou que, recentemente, o pai de Moraes foi nomeado num cargo comissionado. “Eu não nomeei meu pai em cargo público. Baixa tua bola, já liberei o governo do Estado, não tenho cargo no governo eu estou aqui como cidadão fazendo minha parte. Eu não me apego a grupinho nenhum a movimento nenhum, não uso passagens desta casa para ir a reunião política, o senhor me respeite”, continuou o deputado. 

Ulysses, que preside no Estado o MBL (Movimento Brasil Livre), é filho do advogado Naime Moraes, que até recentemente ocupava um cargo comissionado no Tribunal de Contas do Estado, onde recebia um salário de R$ 13,2 mil. Ulysses, em resposta a Xuxu, negou que tenha feita a indicação do pai para o TCE.

“Primeiramente que meu pai não ocupa nenhuma função pública hoje, isso tem que ficar muito claro. Segundo que ele é muito maior do que eu e já ocupou várias secretarias, diversos cargos públicos e se por ventura foi nomeado em qualquer cargo não tive influencia nenhuma, qualquer tipo de indicação”, rebateu, aproveitando para acusar Xuxu de ter votado o projeto sem ler.

“Vossa excelência nem ao menos leu o projeto de lei, como vossa excelência vota? Mas para encerrar esse debate fica aqui o questionamento, antes de subir a tribuna para debater projeto, leia”, recomendou.

Após mais uma intervenção de Janaína, Xuxu decidiu acabar com a discussão. “Só quero pedir desculpas aqui por esse debate baixo que não tem resultado nenhum e onde a gente só fica aqui um tentando desfazer o outro, eu li o projeto, sim deputado, só respeita o meu voto, só isso”, encerrou.4

Fonte: Folhamax
Tecnologia do Blogger.