Plantão

NY é o mais novo estado dos EUA a legalizar a maconha

Nova York, finalmente, oficializa a descriminalização da maconha. A cidade mais importante dos Estados Unidos remove possíveis sanções penais para quem for pego com menos de 50 gramas da erva. 

A medida sancionada pelo governador democrata Andrew Cuomo nesta semana prevê ainda a retirada do registro de acusados criminalmente de portar maconha. Os que carregarem quantidades acima do permitido pela nova legislação não são mais contraventores e estão sujeitos ao pagamento de multa. 


Ato pela descriminalização da maconha em NY

Como aponta o The New York Times, cerca de 160 mil pessoas com condenações em primeiro grau terão a ficha limpa. A decisão beneficia principalmente negros e hispânicos, que pagam o pato da chamada guerra às drogas. 

“Por muito tempo comunidades de pessoas de cor foram impactadas excessivamente por leis contra o consumo de maconha. Elas sofreram a vida toda as consequências de condenações injustas pela posse da erva”, salientou o governador em nota. 

Sob a nova lei, a pena para posse entre 28 e 56 gramas de maconha se torna passível de multa de 200 dólares. Antes, o cidadão era enquadrado como contraventor de Classe B. A multa para posse de menos de 20 gramas caiu de US$ 150 para US$ 50. 


Negros e latinos tem 8 vezes mais chances de serem presos com maocnha
Alívio afro-latino 

Nova York flerta com a descriminalização de pequenas quantidades de maconha desde 1977. Ainda em 2014, o estado legalizou a maconha medicinal. Hoje, mais de 30 estados norte-americanos permitem a utilização da planta para fins de saúde e outros 11 legalizaram o consumo recreativo da erva. 

Como foi dito, negros e latinos respiram aliviados. Afro-americanos e hispânicos respondem por 86% dos presos por posse de drogas em Nova York. Número oito vezes maior do que os brancos no caso da maconha. Até 2018, a Big Apple prendia mais de 17,5 mil pessoas por posse de maconha.

Fonte: Hypeness