Unic deve pagar R$ 9 mil para aluna que desistiu de curso

Faculdade inseriu nome de estudante nos serviços de restrições de crédito A Unic (Editora e Distribuidora Educacional S/A) foi conden...

Faculdade inseriu nome de estudante nos serviços de restrições de crédito

A Unic (Editora e Distribuidora Educacional S/A) foi condenada a pagar indenização de R$ 9 mil a uma aluna, que embora tenha formalmente desistido de iniciar as aulas no curso de Agronomia, recebeu cobranças, que foram consideradas indevidas pela Justiça. A decisão é da juíza Maria Aparecida Ferreira Fago, do Segundo Juizado Especial Civil de Cuiabá.

A aluna E.G.N.A. já havia sido vítima de cobrança abusiva e de negativação indevida pela mesma instituição de ensino em processo que tramitou no Quarto Juizado Especial Civil de Cuiabá. Nesta ação, a Unic foi condenada a extinguir a cobrança, proceder com a imediata retirada do nome da aluna dos órgãos de restrição e ao pagamento de R$ 7 mil por danos morais.

Já no processo em curso no Segundo Juizado Especial Civil, a aluna entrou com uma ação de Reclamação Civil com Pedido de Antecipação de Tutela contra a Unic para suspender o débito, cessar a cobrança e não negativar seu nome.

Segundo a autora da ação, apesar de ter efetivado a matricula no curso de Agronomia no período 2017/01, teria desistido antes mesmo do início das aulas, mediante ato formal.

Mesmo tendo sido condenada anteriormente, a Unic voltou a fazer cobranças nos valores de R$ 1.070,51 e R$ 1.092,45.

Em trecho extraído da sentença a juíza Maria Aparecida Ferreira Fago, fez a seguinte observação: “(...) Vê-se que a conduta aqui discutida é reiterada, e que a Ré já cobrou outros valores, igualmente indevidos, da Autora, os quais foram discutidos em processo que tramitou junto ao 4º Juizado Especial Cível desta comarca. Na oportunidade, houve a condenação em montante o qual, como visto, não foi suficiente para evitar a reiteração da conduta. A eficácia da contrapartida pecuniária está na aptidão para proporcionar tal satisfação em justa medida, de modo que não signifique um enriquecimento sem causa para a vítima e produza impacto bastante no causador do mal a fim de dissuadi-lo de novo atentado (...).”

Em sua defesa, a Unic se manifestou de maneira genérica, apresentando documentos constitutivos e representativos sem, no entanto, comprovar a existência dos valores cobrados.

Ao analisar os fatos, a juíza observou que a Unic praticou “ato ilícito” (artigos 186 e 927 do Código Civil), com a cobrança indevida de valores, após o encerramento da relação contratual.

“Não trouxe qualquer documento que comprovasse que a Autora teria frequentado, efetivamente, às aulas, para que houvesse as cobranças. Há, todavia, comprovante de que a Autora, em 17/02/2017, teria solicitado a desistência da matrícula (Mov. 1.8.). Qualquer cobrança posterior a essa data, torna-se, portanto, indevida”, apontou a magistrada. 

DANOS MORAIS

Em relação aos danos morais, ao analisar o pleito, a juíza chamou a atenção da insistência da cobrança de valores, mesmo após decisão judicial que assim proibia, “sem explicar à Autora a origem da cobrança, sequer lhe propiciar a segurança após a rescisão do contrato, constitui falha na prestação do serviço, e atinge à sua intimidade”, escreveu a magistrada.

Diante dos fatos, a juíza declarou a inexigibilidade dos débitos discutidos nos valores de R$ 1.070,51 e R$ 1.092,45. “Consequentemente opino por declarar nula qualquer cobrança sob os mesmos fundamentos”, decidiu, e caso a instituição ainda insista na cobrança, está sujeita ao pagamento de multa de R$ 3 mil. Ela também arbitrou como pagamento por danos morais o valor de R$ 9 mil “corrigidos monetariamente (INPC) a partir da homologação do presente projeto, e acrescidos de juros de mora de 1% desde o evento danoso”.

Para o advogado Sylvio Feitosa, que patrocina a aluna na referida ação, o julgamento foi justo. “A decisão atende os anseios da sociedade em ver ser cumprida a legislação protetiva dos direitos do consumidor, tendo de os maus fornecedores sentirem o peso de uma condenação que detenha a capacidade de cessar as práticas ilícitas reiteradas”, afirmou.

A decisão judicial se encontra em sede de recurso, aguardando julgamento pela Turma Recursal Única do Estado de Mato Grosso. A Unic interpôs Recurso Inominado para diminuir o valor da condenação.

Nome

DESTAQUE,2,Destaque Lateral,1,ESPERANDO,1,Fotos e eventos,224,Geral,6770,PAPO DE ESQUINA,6,Parceiros,4,Regional,2864,Rosário Oeste,2334,Variedades,3702,Videos,1406,
ltr
item
Biorosario: Unic deve pagar R$ 9 mil para aluna que desistiu de curso
Unic deve pagar R$ 9 mil para aluna que desistiu de curso
https://www.midianews.com.br//storage/webdisco/2019/05/27/886x590/95513a53671ff9619563cb5dc48f7dd1.jpg
Biorosario
https://www.biorosario.com.br/2019/10/unic-deve-pagar-r-9-mil-para-aluna-que.html
https://www.biorosario.com.br/
https://www.biorosario.com.br/
https://www.biorosario.com.br/2019/10/unic-deve-pagar-r-9-mil-para-aluna-que.html
true
7773387971014822502
UTF-8
Carregando posts Nenhum post foi encontrado Ver todos Leia Mais Responder Cancelar Excluir Por Inicio PÁGINAS POSTS Ver Todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO BUSCAR TODOS Não foi encontrado nenhuma correspondente à sua busca! Voltar ao início Domingo Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb January February March April May June July August September October November December Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Seguir ESTE CONTEÚDO É PREMIUM Please share to unlock Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy