Propaganda

SENTENÇA NA GRAMPOLÂNDIA: Zaqueu é condenado a 8 anos de prisão; cabo obtém perdão e 3 coroneis absolvidos

grampolandia-fim.jpg
Folhamax

A ação contra cinco militares acusados do esquema de grampos ilegais em Mato Grosso entra em sua fase definitiva. Os quatro coronéis que formam o Conselho de Sentença e o juiz Marcos Faleiros começam a decidir o caso.

Nesta quarta, foi iniciada as alegações finais da acusação e defesa. Foram dois dias de embates entre advogados e o promotor Alan do Ó de Souza, representante do Ministério Público.

São réus no caso os coronéis Zaqueu Barbosa, Evandro Lesco e Ronelson Barros, além do tenente-coronel Januário Batista e o cabo Gerson Luiz Correa Junior.

Eles são acusados de operarem um esquema clandestino de grampos ilegais no Estado. Foram alvos advogados, jornalistas e políticos. Três dos cinco réus admitiram a existência do esquema e apontaram o ex-governador Pedro Taques (PSDB) como o mandante dos grampos.

VEJA COM DETALHES A DECISÃO DO CONSELHO DE SENTENÇA:

21h00 - Chega ao fim a 1ª ação sobre os grampos ilegais em Mato Grosso. Com quatro votos, o coronel Zaqueu Barbosa foi condenado a 8 anos de prisão em regime semiaberto. Ele aguardará o julgamento do recurso em liberdade.

À Gerson Correa, apesar de considerado culpado, foi concedido o “perdão judicial”. Foi considerado quem mais colaborou com as investigações e ajudou a desvendar o caso. Foram 4 votos pelo perdão judicial e um pela condenação.

O coronel Evandro Lesco foi absolvido por maioria. Também foram 4 votos pela absolvição e 1 pela condenação.

Por unanimidade, Ronelson Barros e e Januário Batista foram absolvidos.

20h58 - O coronel Luiz Claudio Monteiro é o último juiz militar a votar. Também seguiu o voto de Faleiros na íntegra.

20h51 - Os juízes Valdemir Barbosa e Elielson Metelo votaram rapidamente. Eles acompanharam o voto de Faleiros na íntegra. Ou seja, condenação de Zaqueu por 8 anos em regime semiaberto, perdão judicial a Gerson Correa e absolvição de Lesco, Ronelson Barros e Januário Batista.

20h45 - O primeiro juiz militar a votar é o coronel Renato Junior. Ele considera Zaqueu Barbosa culpado, mas votou pela pena de 2 anos de prisão em regime aberto. Já Lesco, disse que nos artigos 169/53 também é culpado, pois foi co-autor, ao liberar PMs para o esquema e era comandante na época. Neste caso o juiz pediu a pena mínima: 1ano de prisão em regime aberto.

Ronelson Barros e Januário Batista votpu pela absolvição. Sobre Gerson Correa, também considera culpado e vota pela aplicação da pena mínima, de 3 anos de prisão.

20h35 - Agora, os coroneis que formam o Conselho de Sentença vão se posicionar.

20h33 - Ao final de seu voto, Faleiros sugeriu a absolvição dos coroneis Evandro Lesco e Ronelson Barros, além do tenente-coronel Januário Batista. Em relação ao cabo Gerson Correa, concede o perdão judicial pela relevância de sua colaboração. Já sobre Zaqueu Barbosa, Faleiros sugeriu uma pena de 8 anos de prisão em regime semiaberto e que sofra a redução da patente: de coronel para tenente-coronel.

20h30 - Já em relação a Evandro Lesco, Ronelson Barros e Januário Batista, o juiz Marcos Faleiros cita que não há provas de suas participações e defendeu suas absolvições. 

20h20 - Após cerca de meia hora lendo seu voto, Marcos Faleiros. Ele citou que o esquema foi comprovado e começou com ordem do coronel Zaqueu Barbosa. Citou também que Lesco e Gerson cometeram interceptações telefônicas ilegais.

Contudo, defendeu o perdão judicial ao cabo Gerson Luiz Correa Junior, pois foi o primeiro a colaborar com as investigações. "Cabo Gerson que não é santo, mas foi quem deu mais informações eficientes para a investigação", disse Faleiros.

19h55 - O juiz Marcos Faleiros faz a leitura de uma "retrospectiva" de todo caso. Somente após ele acabar será dada a palavra aos coroneis que formam o Conselho de Sentença.

19h30 - Os juízes já retornaram a sessão após rápido intervalo, com o fim das alegações da defesa. Cada juiz militar deve se pronunciar e, por fim, o juiz Marcos Faleiros.