Plantão

Pyong passa a ser investigado pela polícia após polêmica no BBB 2020

Fonte: rd1


Assim como Petrix, a situação de Pyong, participante do BBB 2020, não está nada boa na Justiça. De acordo com o jornal Extra, ele será investigado pela Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM) do Rio de Janeiro.

O motivo foi o fato do brother ter sido acusado de ter cometido suposto assédio contra Flayslane e Marcela na festa da semana passada. Agora, será aberto um inquérito para apurar o que aconteceu com base nas imagens.

“Nós tomamos conhecimento por meio das redes sociais e da TV de que o Pyong teria tido atitudes durante a última festa que aconteceu dentro do reality que podem ser consideradas como assédio sexual”, disse a delegada Catarina Noble. 

“Não estou afirmando que isso aconteceu, mas vamos apurar tudo. Esse tipo de comportamento de alisar as moças sem o consentimento delas deve ser combatido dentro e fora do programa”, completou.

Além dele, as meninas envolvidas também serão ouvidas quando deixarem o programa. Flayslane, inclusive, será ouvida duas vezes, uma para falar sobre Pyong e outra sobre Petrix.

Enquanto isso, aqui fora, Pyong está recebendo acusações por parte de uma comissária de bordo chamada Débora Welker, de 30 anos, que mora em Dubai.

Em vídeo no Instagram, a brasileira iniciou o relato contando que conheceu o coreano em uma festa e os dois se relacionaram.