Plantão

Emanuel suspende ônibus, fecha comércio e “libera” servidores

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) decretou nesta sexta-feira (20) situação de emergência no Município para fins de enfrentamento ao Covid-19 (novo coronavírus). A medida foi anunciada em uma live nas redes sociais.

Durante a transmissão, o prefeito assinou um decreto com uma série de proibições que passam a vigorar na Capital e que afetam o funcionalismo público municipal, o funcionamento do comércio e a prestação de serviços na cidade.

Entre as medidas contidas no decreto, a suspensão de 100% do transporte coletivo na Capital a partir da próxima segunda (23) até o dia 5 de abril, podendo ser prorrogado.

Para este mesmo período, está determinado o fechamento de todos os estabelecimentos comerciais na Capital, incluindo shopping centers, bares, restaurantes, igrejas, academias, feiras livres, dentre outros.

Para estabelecimentos que fornecem alimentação, está liberado o atendimento pelo sistema de delivery.

Essas ações podem parecer amargas, impopulares, mas são necessárias para superar essa turbulência social. São medidas que cortam o coração, mas, reitero, são necessárias neste momento

Podem funcionar entre 23 de março e 5 de abril aqueles estabelecimentos que prestam serviços considerados essenciais.

Entre eles, como supermercados, clínicas e hospitais privados e particulares, postos de gasolina, funerárias, estabelecimentos bancários e farmácias, por exemplo.

No caso dos postos de combustíveis, o funcionamento deve ocorrer entre segundas e sexta-feiras, das 7 horas às 19 horas, ficando impedida a abertura das unidades aos domingos e feriados.

Dispensa de servidores 

O prefeito também afirmou que – a partir de segunda até 5 de abril - os servidores públicos do Município deverão exercer suas atribuições no sistema de home office, ficando de sobreaviso e disponíveis a suas respectivas chefias.

Este prazo poderá ser prorrogado, caso haja o agravamento da epidemia.

“Ficam fora do home office apenas servidores da área fim da saúde pública, os da área de fiscalização das secretarias de Meio Ambiente, Mobilidade Urbana e Ordem Pública e aqueles que prestam serviços considerados essenciais”, disse o prefeito.

O decreto assinado nesta sexta também autoriza o Município a fazer a aquisição de bens, serviços e insumos de saúde por meio de dispensa de licitação.

Na Saúde, ficam suspensos os agendamentos, atendimentos ambulatoriais e as cirurgias eletivas nas unidade até 5 de abril.

“Tomamos essas medidas devido ao acelerado ritmo de contágio do coronavírus no Brasil e a progressão geométrica que vem assustando as autoridades e toda população. Essa situação leva nos, como gestores, a ter que tomar medidas por vezes amargas, mas que tem o único condão de priorizar, cuidar, zelar da saúde da população cuiabana”, disse o prefeito.

“Essas ações podem parecer amargas, impopulares, mas são necessárias para superar essa turbulência social. São medidas que cortam o coração, mas, reitero, são necessárias neste momento”, acrescentou.

Fonte: Mídia News