Plantão

Nova bateria fica mais potente quando aquecida e não explode



Quem usa muito o celular sabe que, depois de um tempo, a bateria começa a esquentar. Já vimos inclusive inúmeros casos de celulares e computadores explodindo enquanto conectados na tomada. Mas cientistas da Austrália desenvolveram justamente o contrário: uma bateria que fica mais potente quando aquecida - e não explode.

Nesta semana, a Deaking University, localizada na cidade australiana de Melbourne anunciou um protótipo de baterias de lítio com propriedades, no mínimo, interessantes. Uma bateria que esquenta pode ser menos útil para dispositivos que seguramos nas mãos ou colocamos no colo, como celulares e notebooks. Porém, para certos veículos elétricos, onde a liberação de calor é um grande problema, essa nova célula pode ser incrível.

A célula de bolsa plana de 1Ah usa um ânodo de metal de lítio, valorizado por sua capacidade de fornecer até 50% mais armazenamento de energia do que as baterias atuais. Mas o maior diferencial é um eletrólito líquido iônico - um sal que, à temperatura ambiente, está na forma líquida, e tem diversas vantagens sobre a tecnologia de hoje.


"Os líquidos iônicos não são voláteis e resistem ao fogo", explica o professor Patrick Howlett, diretor do centro de pesquisa. "Isso significa que, diferentemente dos eletrólitos atualmente usados nas células de íons de lítio usadas por Samsung e Tesla, por exemplo, elas não vão explodir. Não só isso, mas elas realmente têm melhor desempenho quando aquecem, então não há necessidade de sistemas de refrigeração caros e pesados para impedir o superaquecimento das baterias".

O pesquisador e líder do projeto, Robert Kerr, acrescenta que a equipe alcançou um nível de referência que certamente fará com que todos na indústria prestem atenção. "Embora este seja apenas um trampolim para as células de 1,7Ah, que em breve estarão em produção, este é um marco importante no mundo das baterias para a demonstração de uma nova tecnologia".

Fonte: olhardigital