Plantão

Polícia da Califórnia quer usar drones no combate à Covid-19



O Departamento de Polícia de Chula Vista, cidade próxima a San Diego, no sul da Califórnia, irá usar drones para monitorar o cumprimento da quarentena local decretada devido à epidemia de Covid-19 na região, e também para monitorar a população de rua.

Dois drones produzidos pela empresa chinesa DJI, líder no segmento, foram adquiridos por US$ 11 mil cada. Eles serão equipados com câmeras de visão noturna e alto-falantes, e poderão ser usados para alertar o público ou auxiliar no controle de multidões.

“Tradicionalmente não montamos alto-falantes nos nossos drones, mas se precisarmos cobrir uma grande área para fazer um anúncio, ou se houver uma multidão em algum lugar que precisemos dispersar - poderíamos fazê-lo sem chamar envolver policiais no solo”, disse o capitão Vern Sallee, de acordo com o jornal Financial Times.

Outro uso para as aeronaves será informar a população de rua sobre a severidade da epidemia sem colocar policiais em locais ou situações que podem levar a um confronto. "Precisamos dizer a eles que temos recursos para cuidar deles - eles estão vulneráveis agora", disse Sallee, de acordo com o jornal. "Pode ser impraticável ou inseguro para nossos oficiais serem colocados nessas áreas."

O uso de drones no combate à epidemia não é novidade: na China, drones equipados com câmeras e alto-falantes foram usados para monitorar as ruas e alertar as pessoas que não estavam usando máscaras do risco que corriam.

O Departamento de Polícia de Chula Vista já tinha dois outros drones, e com a nova aquisição dobra o tamanho de sua frota. Atualmente são realizados de 10 a 15 vôos por dia em operações de emergência como relatos de crimes em andamento, tiroteios, incêndios, monitoramento de suspeitos, etc.

A compra foi feita apesar de medo do governo norte-americano de que drones chineses possam estar sendo usados para espionagem. O Departamento do Interior dos EUA chegou a considerar uma medida que impediria o uso de mais de 1.000 drones civis usados para tarefas menos críticas, como mapeamento de terrenos e acompanhamento do uso de recursos naturais.

Fonte: olhardigital