Propaganda

Coronavírus: luvas descartáveis dão falsa sensação de segurança



Desde que o novo coronavírus virou uma pandemia, não é difícil encontrar pessoas utilizando máscaras e luvas descartáveis para se protegerem ao sair de casa. Porém, enquanto as máscaras são recomendadas, as luvas podem e devem ser evitadas, segundo médicos. Isso porque elas protegem apenas contra contaminações através de sangue e outros fluidos, evitando bactérias e vírus somente por um período muito curto.

Isso acontece por conta do material do qual são produzidas. O látex, o vinil e a nitrila são porosos e, quanto mais tempo usados, mais facilmente os patógenos conseguem penetrar. Isso faz com que o uso das luvas não substitui as regras de higiene. É por isso que médicos higienizam as mãos cuidadosamente após o seu uso.


Além disso, as luvas podem, inclusive, aumentar o risco de infecção, já que fazem a pele suar mais rapidamente, principalmente em clima quente e úmido, que é ideal para a proliferação de bactérias e vírus. O pneumologista Jens Mathews, inclusive, descreve o equipamento como “espalhadora” de coronavírus. “Em muito pouco tempo, uma luva descartável usada tem muito mais bactérias em sua superfície do que uma mão recém-lavada”, acrescentou.

“É preciso certo nível de conhecimento e prática para retirá-las de tal maneira que os microrganismos coletados permaneçam em suas superfícies e os usuários não os espalhem pelas mãos, pulsos ou mangas da camisa ao tirá-las”, alerta o médico Ojan Assadian, presidente da Sociedade Austríaca de Higiene Hospitalar.

Portanto, para se proteger do novo coronavírus é fundamental a higiene criteriosa das mãos e deixar o uso das luvas para os profissionais da saúde. De qualquer forma, aqueles que insistirem em usá-las, devem ao menos descartá-las da maneira correta. Assim como as máscaras, devem ser jogadas no lixo não reciclável, de preferência do banheiro, dentro de dois sacos plásticos fechados.

Fonte: olhardigital