Propaganda

São Paulo registra 1.207 mortes confirmadas ou suspeitas de Covid-19



A cidade de São Paulo registrou 1.207 mortes confirmadas ou suspeitas de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, entre os dias 23 de fevereiro e 11 de abril. Os dados foram divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde em um mapa que mostra a quantidade de ocorrências por distritos.

Vale pontuar, no entanto, que o material apresenta informações sobre 1.201 óbitos (ou 99,5% do total). Ou seja, seis casos não são representados na visualização.

O balanço oficial da pasta publicado no sábado (11) - último dia do período estudado - indicava 422 óbitos confirmados na cidade. Portanto, 779 dos casos informados no mapa ainda são suspeitos.

Os distritos com mais ocorrências estão na periferia. O líder corresponde à Freguesia Brasilândia, no extremo norte da cidade, com 33 mortes suspeitas ou confirmadas. De acordo com mapa, no entanto, quase três terços dos óbitos ainda são investigados. Em seguida, estão os bairros de Sapopemba e Itaquera, com 28 e 27 óbitos, respectivamente.

Por outro lado, Butantã, Barra Funda, Alto de Pinheiros e Marsillac apresentam até duas ou menos mortes computadas. O mapa não informa dados sobre a Sé.

Por região, a Zona Leste concentra o maior número de mortes confirmadas ou suspeitas, com 499 ocorrências. A Zona Norte registrou 289 óbitos, seguida pela Zona Sul, com 253. Já na Zona Oeste são 91 mortes, enquanto no Centro foram contabilizados 61 falecimentos de Covid-19.

Testes
O mapa da Secretaria Municipal da Saúde apresenta uma proporção de 1,8 morte suspeita para cada confirmada. Em grande parte, esta relação se deve à falta de testes de diagnóstico do coronavírus, bem como ao atraso no processamento desses exames.

No estado de São Paulo, as análises de testes de pacientes são realizadas por 34 institutos de saúde, públicos e particulares, credenciados. Atualmente, a rede é capaz de processar 2 mil exames por dia, de acordo com Governo Estadual. As autoridades esperam elevar essa quantidade para 8 mil por dia, até a metade maio. Isso vai depender, no entanto, do credenciamento de novas instituições e da aquisição de kits de testagem importados de outros países.

Na terça-feira (14), o governador de São Paulo, João Doria, anunciou que mais de 725 mil exames de diagnóstico da Covid-19 chegaram ao estado importados da Coreia do Sul. O chefe do Executivo disse ainda que a administração pretende receber mais 500 mil unidades, em breve.

O material será voltado prioritariamente ao teste de vítimas fatais, pacientes internados em estado grave e profissionais de saúde, justamente para constituir uma análise mais precisa sobre as projeções da pandemia no estado.

Na mesma data, Dimas Covas, presidente do Instituto Butantan, órgão que coordena a rede de processamento de exames, afirmou que mais de 15 mil testes estavam na fila de análise. Porém, na quarta-feira, após a chegada da carga de suprimentos da Coreia do Sul, Covas disse que o número caiu para 13,4 mil. Ao todo já foram realizados 15,9 mil testes no estado.

Fonte: olhardigital