Propaganda

ALTO PARAGUAI: Vereador agride servidor da prefeitura e é conduzido para a delegacia

Vereador Xanduzinho é suspeito de agredir com socos servidor da prefeitura de Alto Paraguai

O polêmico vereador de Alto Paraguai Alessandro Silva Santos, o Xanduzinho do PSDB, voltou a aprontar confusão e desta vez foi levado à Delegacia de Polícia, onde foi ouvido pela autoridade policial. Em um ato que atenta contra a dignidade do cargo, o aloprado parlamentar apareceu nos corredores da prefeitura de Alto Paraguai para agredir com socos e pontapés o chefe do setor de transporte do município, Edvilso Almeida Mesquita júnior.

O deplorável fato ocorreu manhã desta quinta-feira (21). De acordo com a narrativa do Boletim de Ocorrência, Xanduzinho teria adentrado com seu veículo no pátio da prefeitura, invadiu a sala do setor de transportes e, depois de proferir palavras ofensivas, teria agredido fisicamente com socos o chefe do setor, Edvilso Mesquita Junior. O vereador argumentou que teria entrado na sala do servidor público “apenas cobrar fiscalização sobre a frota escolar”.

A reportagem deste site apurou que Xanduzinho é useiro e vezeiro em aprontar presepadas nos corredores da prefeitura. “Não é a primeira, segunda e nem será a última vez que esse vereador mostra o quanto é despreparado para o exercício do cargo”, afirmou uma fonte, acrescentando que chama atenção o fato do parlamentar tomar esse tipo geralmente nos dias que o município recebe recursos, seja próprio ou de convênios. “Após essas datas, o vereador desaparece do pátio da prefeitura”, completou.

Um outro servidor declarou, por mensagem de texto, sob a condição de anonimato, que “em dias de pagamento o vereador aparece na prefeitura, sempre acompanhando de fornecedores do transporte escolar da zona rural, para dar show, gritar e ameaçar que vai fazer investigações para acabar com a ‘máfia siciliana’.

Depois de sair os pagamentos dos fornecedores do transporte escolar, o vereador se cala, entra em hibernação, desaparece”. Estaria o nobre parlamentar fazendo advocacia administrativa?

Estaria intermediando pagamento de fornecedores? Sobre essa questão, nenhum resposta. “A gente desconfia ele esteja fazendo essa intermediação; isso é leal?”, questiona a fonte

Um detalhe chama atenção dos moradores de Alto Paraguai.

O vereador Xanduzinho é esposo da secretária de educação, Patrícia May, que demonstra cumplicidade ou conivência “com as intervenções que seu marido/vereador promove em sua secretaria com pressões a favor de fornecedores da pasta da educação nos dias 10, 25 e 30 de cada mês”, segundo relata um servidor da prefeitura.

Edvilso Almeida Mesquita júnior é agredido por vereador Xanduzinho e faz BO na PJC

Nos bastidores há informações de que existiria uma dívida no transporte escolar de cerca de 300 mil reais e com a pandemia do covid-19 e a paralização do transporte escolar não há envio de recurso ao município. Essa pode ser a razão para o nervosismo do vereador, que segundo voz corrente na cidade, seria lobista dos empresários do setor.

Xanduzinho tem forte influência nas indicações da secretaria de educação. Ele teria conseguido indicar todos os diretores e coordenadores das escolas municipais. Nos bastidores da política, uma certeza: essa turma dependurada na filha de pagamento da prefeitura deve garantir suporte eleitoral a reeleição do vereador, que mesmo estando na base da prefeita Diane Alves (DEM), ficou isolado no PSDB por não ter incentivado a entrada de novas lideranças no partido.

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra Xanduzinho em verdadeira algazarra. Nas imagens, o vereador aparece gritando e dançando com sua irmã e funcionária da prefeitura em cima de uma mesa de madeira em sua residência durante uma confraternização, contrariando as medidas de prevenção a disseminação do coronavírus, impostas pelo decreto municipal, que proíbe aglomeração e determina isolamento e distanciamento social.

Em um próximo post, vamos exibir o vídeo escandaloso e depravado do vereador; aguarde!

Ainda de acordo com revelações repassadas ao site, o vereador realiza transporte escolar para uma escola particular de Novo Diamantino com alunos de Alto Paraguai, cujo veículo possui vidro fumê 100%. Esse mesmo veículo que realizou várias manobras arriscadas (cavalo de pau) dentro do pátio da prefeitura e saiu em disparada, desrespeitando até o vigia do local, segundo relatos de testemunhas.

Um Boletim de Ocorrência foi confeccionado na Delegacia Polícia Judiciária Civil de Diamantino.

Uma representação será apresentada.

O que se espera, depois deste ato, é que a Câmara de Vereadores de Alto Paraguai seja processado por quebra de decoro parlamentar. Todos os fatos teriam sido presenciado pelo secretário de infraestrutura, Robson Polaco, entre outros servidores da municipalidade.

O outro lado – nossa reportagem não conseguiu contato com o vereador Xanduzinho e nem com a suposta vítia Edvilso Mesquita. Caso se manifestem, a matéria será atualizada.

POR: A BRONCA POPULAR