Propaganda

Apple detalha funcionamento do novo sistema de extensões do Safari



Uma das novidades anunciadas pela Apple durante a abertura da conferência para desenvolvedores WWDC 2020, na última segunda-feira (22), é que o navegador Safari terá suporte a extensões similares às disponíveis para concorrentes como o Firefox e Chrome. Agora, uma palestra de uma das engenheiras que trabalham no projeto detalha um pouco mais do funcionamento e implementação desta novidade.

O Safari já tem suporte ao que a Apple chama de "plugins" para bloqueio e compartilhamento de conteúdo, mas agora o navegador ganhará suporte à API WebExtensions, a mesma usada para desenvolver extensões para os outros navegadores.

Elas poderão ser desenvolvidas usando JavaScript, HTML e CSS, em vez de linguagens como Objective C e Swift, usadas nos plugins atuais e pouco populares fora do ecossistema da Apple. Para facilitar o processo, a Apple desenvolveu uma ferramenta de conversão que adapta o código de uma extensão já existente para as particularidades do Safari.

Como parte do foco da Apple na privacidade, os usuários serão informados de todas as permissões necessárias por uma extensão antes de ativá-la. Também será possível configurar uma extensão para que rode apenas em sites específicos, apenas em uma das abas ativas ou até mesmo por um tempo limitado.

A nova versão do Safari será parte do mac OS Big Sur. Espera-se que o sistema operacional seja lançado em outubro, um ano após o lançamento da versão atual, chamada mac OS Catalina.

Fonte: olhardigital