Propaganda

Boston proíbe uso de reconhecimento facial por órgãos públicos



Nos Estados Unidos, usar reconhecimento facial por parte de órgãos públicos é algo que tem sido alvo de duras críticas por parte de ativistas, políticos e cidadãos. Agora, Boston se une à cidades como São Francisco, Oakland, Califórnia e Massachusetts para proibir órgãos governamentais de usarem tal tecnologia em câmeras públicas.

O decreto foi aprovado por unanimidade e impedirá a capital de usar reconhecimento facial ou obter software para fazer vigilância usando a tecnologia. "Boston não deve usar tecnologia racialmente discriminatória e que ameaça nossos direitos básicos", disse Michelle Wu, vereadora da cidade, em audiência realizada na quarta-feira (24).

No entanto, foram impostas algumas exceções, tais como permitir que funcionários usem o reconhecimento facial para fins de autenticação, como desbloquear seus próprios dispositivos. Autoridades da cidade também podem usar a tecnologia para editar automaticamente rostos em imagens. Mas eles não podem usá-la para identificar pessoas.

A decisão do vereador Ricardo Arroyo faz de Boston a maior cidade da Costa Leste a proibir o reconhecimento facial.

"Boston acabou de se tornar a mais recente cidade importante a parar o uso dessa extraordinária e tóxica tecnologia de vigilância. Todas as outras cidades devem seguir o exemplo", afirmou Evan Greer, vice-diretor do grupo de direitos digitais Fight for the Future.

Fonte: olhardigital