Propaganda

Regina Duarte é processada após polêmica fala sobre ditadura na CNN Brasil



A polêmica declaração de Regina Duarte sobre a Ditadura Militar, no mês passado, à CNN Brasil ainda promete dar muito o que falar. A ex-secretária especial da Cultura agora está sendo processada por apologia da tortura.

O processo foi aberto pela filha do diplomata, editor e jornalista José Jobim, um dos torturados e mortos pelas forças do governo militar. A jornalista e advogada Lygia Jobim revelou que ficou “absolutamente estarrecida” ao assistir às falas da atriz.

“É uma naturalização da tortura, um deboche com nossos mortos”, disparou ela ao jornal Folha de S. Paulo. “Fiquei dois dias com isso entalado na garganta. E então resolvi procurar a Justiça. Essa senhora me ofendeu”, acrescentou ela.

“Fez pouco de algo que me afetou profundamente, que foi não poder me despedir de meu pai porque ele foi enterrado em caixão fechado devido às marcas da tortura”, completou Lygia Jobim sobre a declaração de Regina Duarte.

A entrevista em questão aconteceu no último dia 7 de maio. Na ocasião, a artista disse que “sempre houve tortura, sempre houve”.

“Meu Deus, Stalin, quantas mortes? Hitler, quantas mortes? Se a gente for trazendo mortes, arrastando esse cemitério… Desculpe, mas não, não quero arrastar um cemitério de mortos nas minhas costas. Eu não desejo isso para ninguém. Eu sou leve, sabe? Eu estou viva, estamos vivos, vamos ficar vivos. Por que olhar para trás? Não vive quem fica arrastando cordéis de caixões”, declarou.

O advogado da filha de José Jobim pede retratação pública, “cujo texto deverá ser definido em conjunto e veiculado em jornal de grande circulação”. Além disso, ele pede o pagamento de R$ 70 mil por danos morais, divididos entre os dois réus, Regina Duarte e a União.

Fonte: rd1