Header Ads

Cientistas divulgam novas descobertas sobre dinossauro brasileiro




Pesquisadores do Museu Nacional, no Rio de Janeiro, divulgaram nesta terça-feira (15) dados inéditos sobre o crescimento ósseo do Vespersaurus paranaensis, uma espécie de dinossauro nativa do Brasil. O estudo foi feito em parceria com o Centro Paleontológico da Universidade do Contestado, do Paraná. A pesquisa mostrou que essa espécie poderia viver entre 13 e 14 anos, atingindo sua maturidade sexual entre os três e os cinco anos de idade.

O V. paranaensis era um dinossauro de pequeno porte, com 1,5 metro de comprimento. Ele habitava a região do Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil durante o Cretáceo, entre 90 e 70 milhões de anos atrás. Na época, essa região formava o Deserto Caiuá. A espécie vivia em torno de áreas úmidas, provavelmente oásis. Fósseis de outros animais, como lagartos extintos e pterossauros, também já foram encontrados no mesmo local.

Graças ao grande número de fósseis preservados do Vespersaurus paranaensis, os pesquisadores conseguiram traçar um panorama mais confiável e completo sobre o desenvolvimento desses animais, taxa de crescimento e tempo que levavam para atingir a idade adulta. O estudo usa a técnica da osteohistologia, que consiste na retirada de fragmentos do osso por meio de cortes com serras elétricas. Por ser um método potencialmente destrutivo, a osteohistologia é usada apenas quando se tem muitos fósseis de uma mesma espécie.

Fonte: olhardigital
Tecnologia do Blogger.