Header Ads

CRM detona médica por dizer que morreria se continuasse tratamento em MT



A médica Dieynne Saugo, que foi picada por uma cobra jaraca no final de agosto, fez um comentário polêmico em seu Instagram nesta terça-feira (15). Ela foi questionada por um seguidor sobre o fato de ter sido cuidada em um hospital de São Paulo e não em Cuiabá. Em resposta, a médica afirmou que não se hospitalizou aqui porque morreria.

“Porque é obvio que eu morreria. Nenhum hospital de Cuiabá tem os mesmos recursos dos hospitais de São Paulo. Meu caso não era grave, era gravíssimo!”, escreveu Dieynne na publicação.

O Conselho Regional de Medicina do Estado de Mato Grosso (CRM-MT), por meio de nota, repudiou o comentário da profissional e vê desrespeito com toda categoria que forneceu condições clínicas à paciente para que fosse possível sua transferência para outro Estado.

“Em uma situação onde o médico constata condições de agravo à saúde que impliquem em risco iminente de vida ou sofrimento intenso do paciente, tal como ocorrida com a Dra. Dieynne, o tratamento é primordial para a estabilização do quadro de emergência apresentado e posterior adoção de outras condutas terapêuticas”, diz trecho da nota.

“Assim, ainda que a paciente e seus familiares tenham optado pela transferência para um serviço hospitalar fora do Estado de Mato Grosso, a afirmação de que a sua permanência em Cuiabá resultaria em "óbito óbvio" demonstra falta de consideração e respeito por todos os profissionais da saúde que lhe prestaram atendimento quando o seu quadro era de emergência”, continua o texto.

Ao final, o Conselho cita desmerecimento. “A atuação da equipe do SAMU, que realizou o atendimento pré-hospitalar, à equipe do Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá que aplicou o soro antiofídico e à equipe do Complexo hospital Jardim Cuiabá, que foi quem assumiu a responsabilidade pela traqueostomia quando suas vias respiratórias”.

O CASO

A picada aconteceu no dia 30 de agosto. Dieynne tomava banho com amigos na Cachoeira Serra Azul, em Nobres, durante um passeio no domingo (30), quando a cobra despenca com a queda d’água da cachoeira e atingiu a vítima. Ela foi picada duas vezes, na mão e no pescoço.

Fonte: folhamax
Tecnologia do Blogger.